Calor do Vento…

Cristina Leal
——————————–

Ah, infinito canto
Que ouço enquanto
Danço…

Ah, infinita dança
Que só pára quando
O canto acaba

Mas o canto
Não pára nunca…

Continuo então a girar…

—————————————————————————-
# De repente a visão da Menina Zumbi se abriu,
# Podia olhar agora em todas as direções…
# Percebeu o jardim da gaiola girar ao redor dela e
# Neste mundo novo sentiu ao seu lado o
# Menino dos Olhos de Diamante…
# Quanto mais ventava,
# Mais o sentia e então,
# Ela sentiu calor e enrubesceu…

—————————————————————————
Ler, de preferência ao som de Tristania, Year of the Rat

Anúncios

A Força das Palavras…

Cristina Leal
—————–

Onde tocar sem as mãos
E beijar sem os lábios
Transformam existir em viver
E o cantar em magia
Pudesse então
Infinitamente ouvir…
Infinitamente girar de tal forma
Que o odor da melodia
E a força das palavras
Curassem o que machucava
Antes mesmo de existir
Antes mesmo de sonhar…

—————————————————–

# E nesta noite, pela primeira vez em
# Anos-noite, a Menina Zumbi
# Foi ao jardim da gaiola e não se
# Virou para o lado do mar,
# Ao invés disso, voltou seus olhos
# Na direção sudeste tentando
# Ver se o brilho do olhar do
# Menino dos Olhos de Diamantes
# Ainda cintilava e, para sua surpresa,
# Pode vê-lo pois apesar do enorme brilho
# Da constelação de sete estrelas coloridas
# Que ela havia lhe dado, os olhos dele
# Brilhavam muito mais!
# E então… nesta noite ela dormiu…

Canto para o Cantador


Cristina Leal
——————

Canto por teu canto
Canto para que me escutes
Canto pelo choro de um lamento
Grito pela lágrima que chove
Choro o lamento do teu canto
Canto tua lágrima que grita
Canto pra que escutes meu lamento
Canto pra que meu cantador cante.

————————————————————
# “Não direi o que fazer, nem o que falar…”
# Mas gostaria de ouvir seu canto!

# E choveu…