Jiu Jitsu… a Suave Arte da Liberdade!

Gracie Barra - Pe

Gracie Barra - Pe

E fez-se um novo mundo…

————————————————————-
# E daquele dia em diante,
# A Menina Zumbi não pode mais
# Se contentar com o Jardim da Gaiola…
# Havia sentido o sabor da liberdade,
# Da espera e da coragem!
# O Menino dos Olhos de Diamante
# Que permanecia em seu mundo,
# Era lembrado em todas as horas,
# Mas agora um novo universo nascia
# E a Menina quis andar, e andar mais ainda…

Primeiros Erros

Kiko Zambianchi – Dinho Ouro Preto
—————————————————

Meu caminho é cada manhã
Não procure saber onde estou
Meu destino não é de ninguém
E eu não deixo meus passos no chão
Se você não entende, não vê
Se não me vê não entende
Não procure saber onde estou
Se o meu jeito te surpreende

Se meu corpo virasse sol
Se minha mente virasse sol
Mas só chove e chove
Chove e chove

Se um dia eu pudesse ver
Meu passado inteiro
E fizesse parar chover
Nos primeiros erros
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria sol
Mas só chove e chove
Chove e chove
———————————————-

# E a Menina Zumbi sorriu a
# Lembrança que tanto guardou  e
# Que ainda a mantinha aqui.
# Sentiu, pensou e sentiu, mas sabia que…
# Quanto mais o tempo passava, mais
# A distância a afastava do
# Menino dos Olhos de Diamante…

——————————————————————

“…Pode ser que um dia nos afastemos…
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos…
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.”

Albert Einstein

————————————————————————

O Menino Robô

Tim Burton
———————————————————————–

“…Senhor e senhora Silva levavam uma vida sossegada.
Vida de gente normal, feliz e bem casada.
Um dia tiveram uma notícia que encheu o marido de contentamento:
A mulher esperava um filho,
E ele ia ser pai do rebento!
Mas algo deu errado naquele mar de felicidade.
A criança era… um robô!
Não parecia gente de verdade.
Um bebê nem quente nem fofo, que estranho!
A pele: uma fria e fina chapa de estanho.
Da cabeça lhe saiam antenas e fios.
E ele ficava largado, sempre com olhos parados,
Nem morto nem animado.

Quando até a tomada um longo fio elétrico se estedia,
Este era o único momento do dia
Em que ele ficava cheio de energia.

O senhor Silva não conteve os berros:
“O doutor não cometeu um grave erro?
Nem sangue nem carne tem o menino,
mas é uma simples liga de alumínio!”

O doutor, gentil, lhe respondeu:
“O que vou lhe dizer
Pode parecer extravagante
Mas o senhor não é o pai desse garoto mutante.
Veja bem, a questão não é simples
e requer investigação profunda,
mas achamos que o pai dele
É um forno micro-ondas.”

Agora a vida dos Silva
Tornou-se um fardo pesado.
A senhora odiava seu marido,
e ele já não se via mais casado.
Não perdoou a esposa por aquela
ligação mesquinha:
A união carnal
Com um aparelho de cozinha.

Apesar de tudo, o menino cresceu
E se tornou um robô jovem.

Mas muitas vezes o confundem
Com a lata de lixo da garagem…”

————————-
# E assim é que é…

Nascente

 

Beto Guedes
——————

Clareia manhã
O sol vai esconder a clara estrela
Ardente, pérola do céu refletindo teus olhos
A luz do dia a contemplar seu corpo
Sedento, louco de prazer e desejos
Ardentes…

—————————————————————————
# Os últimos dias tinham sido difíceis e
# Fizeram com que a Menina se visse perdida e só,
# Mas hoje, quando já comecava a contar quantas
# Vezes tinha visto o sol se pôr apenas nesse dia,
# Sentiu que o Menino dos Olhos de Diamante voltara,
# Ele que havia feito uma grande viagem
# Enquanto ela sonhava, estava agora bem próximo…
# Procurou os sinais e os encontrou em algumas
# Poucas palavras repletas de reticências……….
# Ficou agitada, mas feliz, e
# Seu coração sentiu um calor intenso…
# Às vezes ela não tinha certeza
# Se estava sonhando o que sonhava…
# E como em todas as noites que não conseguia
# Dormir, sentou-se no jardim da gaiola
# E esperou o céu clarear e colorir o dia…
# Seus sorrisos encheram o jardim de felicidade
# E ela sorriu mais ainda..
# Foi quando percebeu que sentia sono…
# Ela deitou, dormiu e sonhou mais um sonho.

————————————————————————
# Nascente é uma belíssima música de Beto Guedes
# Simples e completa…

Invictus!

William Ernest Henley
——————————

De dentro da noite que me cobre,
Negra como a cova, de ponta a ponta,
Eu agradeço a quaisquer deuses que sejam,
Pela minha alma inconquistável.

Na cruel garra da situação,
Não estremeci, nem gritei em voz alta.
Sob a pancada do acaso,
Minha cabeça está ensanguentada, mas não curvada.

Além deste lugar de ira e lágrimas
Avulta-se apenas o Horror das sombras.
E apesar da ameaça dos anos,
Encontra-me, e me encontrará destemido.

Não importa quão estreito o portal,
Quão carregada de punições a lista,
Sou o mestre do meu destino:
Sou o capitão da minha alma.

—————————————————-
# E como à muito tempo desejava,
# Neste dia a Menina Zumbi
# Caminhou sozinha até o mar,
# Sentiu medo por estar
# Fora do jardim da gaiola,
# Mas seu pés a levaram mesmo assim…
# Enquanto se maravilhava
# Com a breve liberdade, pensou
# No Menino dos Olhos de Diamante e
# Desejou poder compartilhar com ele
# Toda a coragem que sentia…

# Finalizado aquele momento,
# Recitou em seu coração
# O poema Invictus de William Henley
# Repetindo muitas vezes:

# “Não importa quão estreito o portal,
# Quão carregada de punições a lista,
# Sou o mestre do meu destino:
# Sou o capitão da minha alma.”

# Voltou então ao seu jardim
# Sentindo-se orgulhosa de sua coragem!

——————————————————————————–
Leia ao som da música Shy, Sonata Arctica!
“Make sure that you can’t see me, hoping you will see me…

# Ao Grande Mestre com carinho…

Soneto

De Luiz de Camões
—————————

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

———————————————————
# E o Menino dos Olhos de Diamantes
# Continuava distante… mas a distância
# O fazia cada dia mais presente…
# A Menina Zumbi podia quase sentir-lhe
# Os movimentos, pois o cheiro dele
# A envolvia em círculos
# E a fazia girar…

# E ainda continua a Lenda do
# Menino dos Olhos de Diamante
# E a Menina Zumbi…

O pôr-do-Sol…

Por Antoine de Saint-Exupéry
—————————————-

Assim eu comecei a compreender, pouco a pouco, meu pequeno principezinho, a tua vidinha melancólica. Muito tempo não tiveste outra distração que a doçura do pôr-do-sol. Aprendi esse novo detalhe quando me disseste, na manhã do quarto dia:

– Gosto muito de pôr-do-sol. Vamos ver um …
– Mas é preciso esperar.
– Esperar o quê?
– Esperar que o sol se ponha.

Tu fizeste um ar de surpresa, e, logo depois, riste de ti mesmo. Disseste-me:
Eu imagino sempre estar em casa!

De fato. Quando é meio-dia nos Estados Unidos, o sol, todo mundo sabe, está se deitando na França. Bastaria ir à França num minuto para assistir ao pôr-do-sol. Infelizmente, a França é longe demais. Mas no teu pequeno planeta, bastava apenas recuar um pouco a cadeira. E contemplavas o crepúsculo todas as vezes que desejavas. . .

Um dia eu vi o sol se pôr quarenta e três vezes!
E um pouco mais tarde acrescentaste:
Quando a gente está triste demais, gosta do pôr-do-sol …
– Estavas tão triste assim no dia dos quarenta e três?
Mas o principezinho não respondeu.

—————————————————————–
# Ontem eu vi o sol se por quarenta e três vezes…
# Tempo de recomeçar!